2017: Programação - MUSEU DO DINHEIRO

Antiga Igreja de S. Julião, Largo de S. Julião,
1100-150 Lisboa

"O Museu do Dinheiro apresenta o tema do dinheiro, a sua história e a sua relação com as sociedades e com o indivíduo através das coleções de numismática e notafilia do Banco e de outros objetos e dispositivos virtuais de contextualização.
A museografia, da autoria do ateliê Providência Design, desenvolvida com a equipa do Banco de Portugal, assenta em núcleos temáticos que focam os artigos-padrão, o dinheiro no mundo e a sua história ao longo dos séculos, o fabrico da nota e da moeda, e ainda testemunhos pessoais sobre o papel do dinheiro na vida do cidadão.
O Museu do Dinheiro oferece uma experiência marcadamente interativa que recorre à tecnologia multimédia para mostrar o seu acervo. A museografia não convencional aposta na criação de ambientes surpreendentes, capazes de convocar a participação do visitante e de promover a construção de conhecimento.
Este é um museu consciente da sua função social e da presença simbólica que tem na cidade e no país; um museu que assume como prioridade o contacto com vários públicos, que investe na programação educativa e cultural, mantendo uma forte ligação à comunidade e à cidade.
O Museu do Dinheiro assegura a acessibilidade e a satisfação de quem o visita a vários níveis: social, físico, cognitivo. Identifica-se como um lugar de sociabilização que disponibilizará serviços e interfaces de comunicação com o público de formato variado — cafetaria, loja, auditório, biblioteca, áreas de acolhimento, salas de experimentação.
Porque acredita no valor da cooperação, o Museu do Dinheiro pretende forjar parcerias com outras instituições e espaços socioculturais da cidade. Através destas parcerias, poderá incrementar a sua ação, permutar ideias, coleções, projetos, fortalecer redes de contacto ou mesmo facilitar a circulação dos públicos e do acervo, na perspectiva do enriquecimento, fidelização e, naturalmente, da participação do museu na sociedade que o acolhe, mas que também o transforma."

Programa

Há cinema no Museu - Retratos de Vidas Extraordinárias
Ciclo de filmes documentais (4 sessões)
Zero em Comportamento | Colaboração
Sábados às 16h00

13 de Maio, Pelas Sombras (83 min)
17 de Junho, Ana Vieira, o que não é visto (56 min)
15 de Julho, Autografia (104 min)
9 de Setembro,  Cruzeiro Seixas - As cartas do rei Artur (85 min)

Para adultos e jovens (> 14 anos)
Marcação prévia
Mais informações de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Entre ficções e realidade, propõem-se quatro filmes que nos levam por um périplo de sons e imagens até ao âmago da vida e da obra de criadores portugueses, artistas e escritores excecionais vistos por câmaras sentimentais, quase indiscretas, diretas no olhar, intrusas até. Estes documentários são outras formas de fazer o retrato. Amalgamam o corpo, o modo de viver e o processo criativo num todo comum, sem filtro, por vezes a nu. Tão frágil e sublime na cumplicidade, que nos deixa a questionar sobre a relação do realizador com o criador.

13 de Maio, Pelas Sombras (83 min.) 
Catarina Mourão - Portugal, 2010
Um filme que nos faz mergulhar no universo de Lourdes Castro, mostrando-a no seu quotidiano, na casa que construiu com Manuel Zimbro (falecido em 2003) na Madeira.
“Vem ver a pintura que estou a fazer. Um bocado grande, não cabe em museu nenhum. E tão pequena, tão pequenina que todos que passam por aqui nem dão por isso.
Uma tela com forma esquisita. O que vale é que não é preciso esticá-la. Por si só, ela está sempre pronta a receber pinceladas, ventos, estações, chuva, sol....” Pelas Sombras ultrapassa largamente o formato de “documentário sobre artista” para ser um belíssimo e cúmplice retrato de uma das mais singulares artistas portuguesas.

15 de Julho, Autografia (104 min.)
Miguel Gonçalves Mendes - Portugal, 2004 

Com este documentário pretende-se retratar não o poeta e pintor Mário Cesariny mas sim a sua vida, o seu percurso e a sua individualidade. Como espaço de ação privilegiou-se o seu quarto, por ser este a base da sua criação e da sua intimidade. Aqui resiste tudo o que não se perdeu. Sendo este um trabalho que vive sobretudo das questões colocadas (ausentes) e das respetivas respostas, optou-se por assumir como fio condutor um dos seus poemas – “autografia” – que serve de mote, através da sua análise para as questões intencionadas, de modo a que o filme assuma um carácter intimista, estabelecendo-se um diálogo entre quem o vê e quem é retratado.

9 de Setembro, Cruzeiro Seixas - As cartas do rei Artur (85 min.)
Cláudia Rita Oliveira – Portugal, 2015 

Um documentário sobre Artur do Cruzeiro Seixas, o artista que com Mário Cesariny, António Maria Lisboa, Mário-Henrique Leiria, entre outros, pertenceu ao Grupo Surrealista de Lisboa. O filme foca, em particular, a relação amorosa, tempestuosa e de trabalho que manteve com Cesariny.


Há cinema no Museu - Mixórdia de histórias
Colaboração com a Zero em Comportamento
Sábado, 3 de junho, às 11h00 (56 min.) 
Para crianças (>8 anos)
Marcação prévia
Mais informações de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Uma mixórdia de histórias para os mini miúdos!
Ora vejam a preparação: bailarinas transformadas em monstros, galinhas desaparecidas, nuvens de fogo, dentes às bolinhas e miúdos que são diabretes. Tudo bem misturado num batido delicioso para ver no museu: tens coragem para experimentar?

Curtas metragens para crianças.
1 – NICOLAS E GUILLEMETTE
Virginie Taravel, Animação, França 2008, 9 min. 
Numa loja onde se vendem pequenos bonecos de cordas de plástico, “Nicolas, o pequeno músico” é o único totalmente acabado. Certo dia acorda e decide construir “Guillemette, a pequena bailarina”. Mas, por engano, ela transforma-se num monstro de mil cabeças.

2 – A NUVEM FOFINHA 
Conor Finnegan, Animação, Irlanda, 2010, 3 min.
A Nuvem Fofinha quer ajudar a cidade, mas acaba por incendiá-la sem querer.

3 – AS AVENTURAS DE MIRIAM: A BATEDEIRA ELÉTRICA
Andrés Tenusaar, Animação, Estónia, 2012, 5 min.
Miriam está na cozinha a preparar um batido na sua batedeira elétrica. A Galinha, sua fiel companheira, parece querer também manusear o aparelho. Carrega em todos os botões e deixa-o cair no chão. Sem demora tenta consertá-lo, mas parece que algo não correu bem… Onde está a Galinha?

4 – MANCHA E MANCHINHAS: O DENTISTA
Uzi Geffenblad, Lotta Geffenblad, Animação, Suécia, 2012, 7 min.
Hoje é dia de ficar no sofá! O Mancha e o Manchinhas têm um saco cheio de doces para comer. Os chupa-chupas são maravilhosos e se os lambermos tempo suficiente ficamos com uma língua de monstro! Mas também se fica com manchas nos dentes, e essas, só o dentista as pode tirar.

5 – PAULO CONTRA O DRAGÃO
Albert't Hooft, Paco Vink, Animação, Holanda, 2008, 24 min. 
Filme sobre um menino de nove anos a quem é diagnosticado um cancro. O médico explica-lhe que o cancro é como se fosse um dragão no seu corpo e que precisa ser combatido. Como um verdadeiro herói, Paulo, luta contra o Dragão e ganha.

6 – EX-ET
Benoît Bargeton, Rémy Froment, Nicolas Gracia, Yannick Lasfas, Animação, França, 2008, 8 min.
Num planeta longínquo, onde tudo está extremamente regrado e ordenado, uma criança vem semear o caos…


Interpretação: Il Dolcimelo
Concerto
Recital de Música Renascentista
Sábado, 20 de maio às 21h45
Todos os públicos (> 6 anos)
Entrada livre (sujeita à lotação da sala) 
Mais informação de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Recital de Música Renascentista
Terminamos o dia ao som do alaúde e das flautas renascentistas interpretados pelo grupo de música antiga Il Dolcimelo, tal como nos serões do paço real a que Francisco de Holanda certamente assistia.


Os deuses andam à solta!
15 de Julho e 9 de Setembro, às 15h (90 min.)
Entrada livre sob inscrição prévia
Reservas de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240
Oficinas pais e filhos
Crianças (>6 anos) com acompanhamento adulto

Capacete de guerreira, olhos de sabedoria, cornos de coragem, coroa de vitorioso, asas de viajante
São muitas as lendas e mitos que contam as histórias dos deuses e dos seus atributos.

Capacete de guerreira, olhos de sabedoria, cornos de coragem, coroa de vitorioso, asas de viajante. Na Antiguidade eram atributos dos deuses gregos; hoje podem ser os seus. Se pudesse escolher apenas um, qual seria?

Marca de Água - Conversa com a artista
Visita comentada pela artista - Carla Rebelo
Sábado, 15 de julho, às 16h00 (60 min.)
Para adultos e jovens (> 14 anos)
Conversas com Artistas e Curadores
por Carla Rebelo e Leonor Nazaré
Quinta-feira, 28 de setembro às 18h30 (90 min.)
Para adultos e jovens (> 14 anos)
 Marcação prévia

Reservas de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240
No altar, em suspensão, múltiplos fios desenham memórias por cima do nosso olhar. Sobrepostas como marcas de água, as linhas dão forma a uma espécie de lastro do tempo que resiste a desaparecer. Carla Rebelo entrelaça estes desenhos têxteis criando uma escultura irregular, erguida a partir da forma incompleta da ruína ou dos fragmentos de um outro sítio.

A pedra, o pó, o osso, a luz são os fios com que a artista tece um palimpsesto de apontamentos históricos e de estórias comuns, e assim, numa tessitura quase etérea, a instalação evoca a forma de um cofre (outrora sob o altar), de uma planta ou dos desenhos do mapa para uma cidade diluída pela água. Sob a claridade da arquitetura barroca a artista dá a ver a transitoriedade deste lugar.

Oriente, Ocidente. Entre cá e lá
Visita especial - Oriente Ocidente. Entre cá e lá
Sábado, 9 de setembro às 11h30 (90 min.)
Para adultos e jovens (> 14 anos)
Marcação prévia

Reservas de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Poderá o dinheiro unir e não dividir?

De cá para lá. De lá para cá. Assim começa uma história nem sempre linear. Sob a forma de dinheiro ou não, muitos artefactos no museu sugerem a riqueza do encontro entre o Ocidente e o Oriente e o fascínio pelo conhecimento de outras culturas. Poderá o dinheiro unir e não dividir, então?


Festival Cantabile 2017 | A arte da música de câmara
Sábado, 16 de setembro às 21h00 (90 min.)
Entrada livre condicionada à apresentação de bilhete (levantamento de bilhetes no dia do concerto, a partir das 17h00, na receção do Museu)
Para todos os públicos (>6 anos)
Entrada livre condicionada à apresentação de bilhete (levantamento de bilhetes no dia do concerto, a partir das 17h00)
Neste concerto, estará em destaque a obra dos compositores Mozart e Schönberg

O repertório do Festival Cantabile entrelaça o passado e o presente, oferecendo ao seu público uma viagem musical.
Contando de novo com a direção artística da solista de renome internacional Diemut Poppen, o Festival Cantabile traz a Portugal prestigiados músicos de câmara. Neste concerto, estará em destaque a obra dos compositores Mozart e Schönberg.

Programa:
Wolfgang Amadeus Mozart: "Gran Partita"
Arnold Schönberg: "Transfigured Night" 

Solistas do Festival Cantabile:
DIEMUT POPPEN, Viola e Diretora Artística do Festival CANTABILE 
MARIA-ELISABETH LOTT, Violino 
SEBASTIAN KLINGER, Violoncelo 
HANSJöRG SCHELLENBERGER, Oboé 
Solistas da Orquestra Gulbenkian
Solistas da DaKapp masterclasses

Segredos, Cofres e Casas-fortes
Sábado, 23 de setembro às 15h00 (90 min.)
Crianças (>6 anos) com acompanhamento adulto
Marcação prévia
Reservas de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Nesta oficina aprende-se a descodificar, abrir e descobrir segredos, desvendam-se códigos e mecanismos
Barras de ouro, joias e sacos de dinheiro guardam-se em cofres e casas-fortes, que fazem parte do nosso imaginário, desde a banda desenhada ao cinema. Mas o que existe de tão especial nestas magníficas obras da engenharia? Nesta oficina aprende-se a descodificar, abrir e descobrir segredos, desvendam-se códigos e mecanismos dos cofres mais antigos aos mais tecnológicos! Mas o mais difícil é mesmo dizer a palavra CLAVICULÁRIO. Queres experimentar?

Quem é Quem?  
Em cena com… Luís Godinho
D. Dinis - Sábado, 7 de outubro, às 15h (30 min.)
Artur Alves Reis - Sábado, 2 de dezembro, às 15h (30 min.)
Todos os públicos (> 6 anos)
Marcação prévia
Reservas de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

Grandes personalidades históricas cruzaram-se em algum momento com os objetos que hoje compõem a coleção do Museu do Dinheiro. Foram reis, rainhas, pintores, poetas, burlões, extraordinários modelos que a memória da gente insiste em recordar e que ainda nos surpreendem por terem realizado algo de exceção. 

Selecionaram-se para a cena 4 quatro indivíduos atípicos no caráter, na postura, no verbo, e que também tinham os seus tiques e mau feitio. De traços medievais, renascentistas, barrocos ou modernos encontram no corpo de um ator/criador, e no espaço do museu, a oportunidade para contar a outra versão da história, crónicas da sua mundividência.


Visita guiada: Museu do Dinheiro à hora de almoço
Museu do Dinheiro: percurso pela coleção
Sábados, às 15h00 (90 min.) e 5.as feiras, às 13h00 (45 min.)

Mais informação de terça a sexta das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, para info@museudodinheiro.pt ou +351 213 213 240

As nove salas temáticas do Museu dão a conhecer as peças de referência da coleção, bem como os contextos e as histórias que estes objetos encerram
O percurso integra as nove salas temáticas do Museu e dá a conhecer as peças de referência da coleção, bem como os contextos e as histórias que estes objetos encerram.

A narrativa museográfica explora, lado a lado, a evolução do dinheiro e de outros meios de pagamento que marcaram a história das civilizações e das trocas comerciais, no Ocidente e no Oriente.

Museu do Dinheiro:
Entrada Livre
Aberto de Quarta-feira a Sábado, das 10h00 às 18h00 (última entrada às 17:30)
Encerrado nos dias 1 de Janeiro, 1 de Maio, 24 e 25 de Dezembro.

Transportes 
Autocarros: 711, 714, 732, 735, 736, 758, 759, 760, 781, 782 
Barco: Terreiro do Paço, Cais do Sodré
Comboio: Cais do Sodré, Rossio, Santa Apolónia
Eléctricos: 12, 15, 25, 28
Metro: Baixa-Chiado, Terreiro do Paço

Sem comentários:

Publicar um comentário